Resultados de pesquisa

OFFF 2007

|
O maior festival internacional de artes visuais (e etc e tal :P) está de volta! O OFFF 2007 vai decorrer em duas fases em duas partes do mundo: Barcelona e Nova Iorque. (:
Giro giro seria ser cá e tal e coisas *assobio*

De volta.

|
Eu sei que não tenho dado atenção nenhuma ao blog, mas quem me conhece sabe que isto é habitual em mim. Não sou muito de escrever em blogs e até me é estranho manter um blog "só meu" (os outros dois colaboradores são extremamente activos :P).
Desde já, agradeço a preocupação demonstrada por algumas pessoas enquanto estive doente. Para os que ainda não sabem, tive Hepatite B (Aguda), mas já me curei - supostamente. :P Se calhar seria giro andar com um tubinho de ensaio com o meu sangue para o caso de alguém me chatear, ameaçar logo.

Estou na FEUP, para variar. A fazer um intervalo do trabalho que tenho tido. São plantas da FEUP, certificados para a conferência REV 2007, mais material para cá e para lá. Nota: o site já estava feito, foi um senhor alemão que o fez; eu só insiro conteúdos e faço a manutenção.
Tenho tanto que fazer que às vezes estou a trabalhar em várias coisas ao mesmo tempo, saltando de uns ficheiros para os outros, de umas coisas para as outras.
Até estou satisfeita com o estágio, mas serve para me mostrar que tenho que aperfeiçoar as minhas capacidades em algumas áreas. É um estágio que mistura a parte gráfica com a parte técnica e com a de organização de um evento. Em termos de grafismo, não tive que criar toda a imagem corporativa da REV; já estava criada (faz parte de uma imagem corporativa mais abrangente, na qual estão envolvidas várias conferências). Tive, porém, que trabalhar essa imagem para impressão e que fazer a divulgação da REV, assim como os pedidos de artigos para as palestras.

O que eu gostava mesmo era ter o estágio até à conferência. E, pronto, vamos lá ser honestos: arranjar emprego logo a seguir.
Eu sei que não vai servir de muito escrever isto aqui no blog, mas mesmo assim deixo aqui o meu apelo: eu gostaria imenso de trabalhar numa editora. Gosto de trabalhar para impressão, de paginação e, mais na área de multimédia, da produção de conteúdos multimédia educativos (produção de software educativo). Acho que são as áreas de que gosto mais em Multimédia, se bem que, nestes anos, tenha aprendido várias coisas e experimentado trabalhar para vários suportes, públicos-alvo e tipos de conteúdo.
Bem, fica o mote para o caso de alguém souber de alguma coisa!


Vou voltar ao trabalho. Se não fosse pedir muito, gostaria que passassem nas minhas galerias no DeviantArt e no Flickr e que vissem os esboços que vou fazendo. Actualmente, para além dos trabalhos do estágio, estou a fazer um cartaz para o concurso do cartaz do FITU deste ano! Comentarem (criticarem!) iria ajudar-me a melhorar o meu trabalho! :)




A Perfect Circle - When the levee breaks

Shutdown day

|
Sábado: Celebração Shutdown Day

"Não, não somos agarrados aos computadores. Não, não precisamos deles para sobreviver. Não, não nos levantamos a correr para ver os mails mesmo antes do pequeno-almoço. Não. Nós conseguimos ler as notícias sem ser on-line, conseguimos ir às compras sem ser no Ebay, somos capazes até de ainda escrever a caneta, se for preciso. Não somos dependentes da Internet, não achamos que a melhor revista do mundo se recebe por mail, conseguimos perfeitamente pesquisar sobre qualquer assunto sem usar o Google. Ok, estamos a mentir. Talvez sejamos um bocadinho viciados. Mas hoje não. Arranquem-nos os ratos da mão, desapareçam-nos com o teclado. É Dia de Desligar. Tudo. Virar as costas à tecnologia e poupar um pouco de energia. Viver sem máquinas durante 24 horas. A ver se somos capazes."

Fonte: LeCool

Turma de *multimédia* vai às aulas no Second Life

|
22.03.2007, Andrea Cunha Freitas
Alunos da Universidade do Porto aprendem em ambiente virtual.
A aula foi de biquíni em Bora Bora

SummUP Ling "Estamos a aprender, brincando"

Uma morena de t-shirt verde bem justa e andar bamboleante amparado por uns calções minimalistas. É Summ. Tânia escolheu uma imagem "séria, que servisse para estar na aula". Já foi ruiva de olhos azuis e franja, mas decidiu que " seria melhor explorar uma coisa mais real". O resultado entre a sua imagem real e virtual não é pura coincidência. Quanto à experiência, Tânia sublinha: "Temos a noção que estamos a aprender, brincando." "Sente-se a imersão, a jogabilidade, o RPG." O R quê? "Role playing game", decifra. O mais difícil foi mesmo "conseguir tratar o professor por tu, algo que na real life não é muito possível". Admitindo que existe um elevado risco de dispersão, Tânia defende que essa será uma tendência inicial inerente à descoberta.

LenitahUP Ling
"O Second Life pode fazer-nos crescer"
Cabelos loiros a cair sobre os ombros e a deslizar à volta de duas asas azuis presas às costas. O corpo é virtualmente perfeito e coberto por um biquíni. "Asas são algo que não posso ter. Não gosto de pássaros por isso escolhi umas de borboleta", refere, adiantando que foram compradas no SL, como tudo e todos os acessórios. O cabelo e a cara foram diferentes. Lenitah já foi morena. Enquanto fala, Helena tecla no computador e participa na aula: "O SL pode fazer-nos crescer cá fora." Explica que "cá fora" é muito mais tímida. "A Lenitah é muito desinibida, muito mais leve. Eu gostava de ser um pouco mais desinibida, mas não tanto como ela", confessa a rir, adiantando que perdeu o medo de falar inglês com a experiência desta "segunda vida", que experimenta em casa por gozo. "Se calhar dispersamo-nos, mas, ao mesmo tempo, vamos aprendendo. Por vezes, nem chegamos a ter noção que estamos a adquirir conhecimento, mas isso é bom, porque ele fica cá", refere. Parte má? "Ser viciante."

LiliUP Ling "Ainda ninguém faltou à aula"

Biquíni, morena de cabelos presos e com uma atracção pela fotografia. Lili é também mais desinibida que Vânia, que já é uma utilizadora do SL fora do horário escolar. Sobre este inovador suporte para uma aula defende que "motiva muito mais do que estar numa sala a ouvir dar só matéria teórica". "Prova disso é o facto de ainda ninguém ter faltado à aula até hoje", diz, considerando ainda que, neste caso, o ambiente se relaciona-se com a cadeira. Noutras disciplinas seria possível recorrer ao SL para dar a lição? "Não", é a resposta imediata. "Isso iria contra o professor típico que não arrisca muito. Aqui com este professor faz sentido. Noutra aula, duvido. Também ajuda o facto de sermos poucos."

SylviaUP Ling "Mudamos só porque podemos"

A aula mudou para o auditório do SL que habitualmente visitam - Sunbelt Sofware Auditorium. As raparigas vestem agora calças de ganga e Sylvia aproveita para mudar a cor da t-shirt. "Mudamos só porque podemos", diz. Escolhe branco para a "boneca" de cabelos castanhos, numa versão próxima da real utilizadora. Nunca tinha ouvido falar nesta outra dimensão. "Gosto da possibilidade de visitar outros locais, de falar com pessoas que não se encontram facilmente. Temos mais à vontade para falar". No auditório, a turma bebe café, come pipocas e fuma charutos. "Em nenhuma outra aula isto faria sentido", concorda Sílvia. Acrescenta: "Aqui debatemos questões que estão relacionadas com a matéria, falamos sobre o impacto que as novas tecnologias têm na nossa vida." Sílvia confessa que também visita este mundo virtual fora de aulas. "Mas faço questão de nunca passar lá mais de meia hora."

PalUP Ling - O guia de toda a viagem

T-shirt preta com o logótipo de Universidade do Porto, calças da mesma cor, careca e com um brinco brilhante na orelha. Um ar cool, portanto. Pal tem mantido a imagem desde o início sem grandes alterações. Deste lado, Paulo é parecido com o que se vê no ecrã. Como professor é responsável por conduzir a aula em SL, moderar o diálogo e mesmo travar alguns excessos. A turma trabalha também num blogue, onde são aprofundados os assuntos debatidos na aula. "Cá fora" está a fazer um doutoramento na Universidade Nova de Lisboa relacionado com a comunicação e a apropriação do espaço em Second Life. Está inscrito na mailling list SLEducators que lhe envia cerca de 1200 mails por mês sobre actividades nesta área. Tem mais avatares e obviamente vai ao SL sem ser no cumprimento da obrigação profissional. Há já oito meses que escolheu frequentar esta segunda dimensão. Há pouco mais de um mês decidiu levar a turma de Hipermedia e Estruturas Narrativas do 3º ano da licenciatura em Jornalismo e Ciências da Comunicação da Universidade do Porto para Bora Bora e muitas outras paragens.

LiliUP Ling: ainda hj me dava imenso jeito poder teleportar-me na RL
LiliUP Ling: ...hj e sp
LenitahUP Ling: e voar =D
LiliUP Ling: voar claro!!
LiliUP Ling: basicamente tinhamos gds vantagens se a vida fosse um jogo
PalUP Ling: humm, tás mais sociável?
LiliUP Ling: SL é uma forma de comunicação tb...e todas as formas de comunicação ajudam na socialização de um modo geral
PalUP Ling: e acham q a introdução do som da voz vai ajudar?
LiliUP Ling: a voz é mais um elemento q ficam a conhecer da RL...é pessoal
SummUP Ling: tudo o q é inovação começa por ser uma surpresa no inicio e mts pessoas n gostam d partilhar algo d tao intimo cm a voz
LiliUP Ling: os outros podem aperceber-se de do nosso estado de espirito por exemplo
SylviaUP Ling: para quem é timido, teclar é a melhor coisa do mundo lol
LiliUP Ling: falas c toda a gente sem teres q encarar ngm
SylviaUP Ling: o sl também nao promove o narcisismo? lol
SylviaUP Ling: acho que sim. há uma preocupação com a imagem do nosso avatar, ninguem o nega.

Estamos na ilha Bora Bora. Espera-se a chegada de SummUP Ling que se encontra no Hawai, mas está prestes a ser teleportada até à areia branca onde se instalou o resto da "turma" Ling. "Este sítio é porreiro, tem o barulho do mar e tem pouca gente a esta hora da manhã", nota PalUP Ling. Atenção. Vai começar a aula de Hipermedia e Estruturas Narrativas do 3º ano da licenciatura em Jornalismo e Ciências da Comunicação da Universidade do Porto. E tudo se passa no Second Life, uma comunidade virtual e que reúne já milhões de utilizadores em todo planeta.
E se na vida real decidíssemos levar para uma vida virtual uma acção da vida real para falar sobre questões relacionadas com a vida virtual? No fundo é isso. Paulo Frias, professor da licenciatura de Jornalismo, decidiu usar o popular programa Second Life como ambiente de trabalho. A experiência começou no início deste semestre e será inédita em Portugal, mas não no mundo, onde existem mais de 90 universidades a fazer o mesmo, sobretudo norte-americanas. Por cá, desde há um mês que as aulas acontecem no Second Life envolvendo as cinco alunas e o professor que compõem a "turma" Ling. Nas duas horas de trabalho agendadas para hoje fala-se sobretudo de SL vs RL que, traduzindo, quer dizer Second Life vs Real Life. Mas não só. Fala-se também das sapatilhas que se compram por ali, da saia que se usa, do biquíni, dos cabelos. E, apesar de tudo começar numa roda de pessoas sentadas na areia, há momentos de dispersão aproveitados para voar, fazer windsurf, dançar, comer, beber. Os personagens - os alter-ego - ainda estão em construção. O professor - habitante deste mundo virtual há mais tempo - mantém a sua figura desde o início. Elas não. Mudam de roupa ao longo da aula - escolhem um biquíni para a praia e uns jeans para o auditório, onde termina a lição. Desde que tudo começou algumas mudaram o corpo. Já foram loiras e hoje são morenas. Hoje há uma ausência no grupo - é a primeira falta que esta disciplina regista desde que entrou neste mundo SL. Falta Rita Sousa, aka LiaUP Ling.

"A vantagem é termos à disposição um ambiente mais informal, experimentarmos novos códigos, novos dispositivos audiovisuais e hipermediáticos, explorarmos outras formas de comunicar e outras linguagens que têm tudo a ver com a matéria desta cadeira", explica Paulo Frias (ou PalUP Ling), que define o Second Life como "um ambiente colaborativo on-line". De manhã encontram-se "ali" uma média de 17 mil utilizadores, mas à noite o número sobe para o dobro. Por vezes, há habitantes que interrompem a aula e tentam iniciar conversa com o grupo Ling. A maior parte das vezes são ignorados. No entanto, o grupo pode ter convidados. No dia 12 de Março, por exemplo, agendou-se uma conversa com Eggy Lippmann, residente no SL desde 2003, no Sunbelt Sofware Auditorium. E Paulo Frias promete mais. "Estou a pensar organizar alguns encontros com pessoas ligadas a esta área que conheço nos Estados Unidos e noutros países. Este é óptimo local para promover essas conversas", refere. O plano para o futuro passa também por envolver a Universidade do Porto nesta "vertente mais académica" do Second Life, permitindo que estudantes de outras áreas desenvolvam programação específica para estas aulas - ou seja, fazer com que seja possível usar apresentações com projector ou outras sem sair do SL. "Podemos criar aqui uma plataforma de transferência da informação", desafia Paulo Frias.

A aula está prestes a começar e os alunos, dispersos pela sala, estão prontos a assumir os seus avatares. Assim temos, Sílvia Bento aka SylviaUP Ling, Tânia Carvalho aka SummUP Ling, Helena Borges aka LenitahUP Ling e Vânia Cardoso aka LiliUP Ling e, claro, Paulo Frias aka PalUP Ling. Cinco pessoas sentadas na praia de Bora Bora.


Fonte: Público (Página 10 do P2 de hoje).

» Lançamento! «

|
Fotografia e Poesia

em “SIMBIOSE”


Lançamento, dia 6 de Abril (sexta-feira santa), às 22h30, no bar Blá Blá em Matosinhos.


De vários cantos do país, 17 poetas e fotógrafos concretizam o sonho de editar uma colectânea de poesia e fotografia. “Provocação poética ou insubmissão fotográfica”, como se lê no prefácio da obra, “Simbiose” reúne poemas e fotografias unidos pelo aroma subjectivo de quem contempla as páginas, intercaladas com versos e imagens captadas pela objectiva.

Do realismo ao abstracto, passando pelo surrealismo, texto e imagem mergulham numa profusão de estilos e tendências, que navegam ao sabor do escritor e do fotógrafo. Em contradição ou harmonia, cabe ao leitor encontrar o clímax desta relação de opostos que se atraem.

O lançamento da obra está marcado para 6 de Abril (sexta-feira santa), às 22h30, no bar Blá Blá, em Matosinhos. O livro é editado pela Corpos Editora.

A sessão conta ainda com as actuações musicais de Ex-Ricardo de Pinho Teixeira e de Cristina Bacelar, que fará também o lançamento do seu CD “Descartabilidade”. Há ainda dois DJ´s convidados: Miguel TT e Pedro Killer. À música juntam-se as artes plásticas, com a inauguração da exposição de pintura de Joma Sipe.


Assignment Zero Tests Pro-Am Journalism

|
"Assignment Zero is a pro-am, open-platform reporting project. The investigation: crowd sourcing and peer production are a social trend growing well beyond tech. Why is this happening? Partners: NewAssignment.Net and Wired.com, with Newsvine.
From the Wired essay: 'We're trying to figure something out here. Can large groups of widely scattered people, working together voluntarily on the net, report on something happening in their world right now, and by dividing the work wisely tell the story more completely, while hitting high standards in truth, accuracy and free expression?' Wired.com: 'We want out readers and our sources to be one and the same. We think it will make for better journalism.'"

Fonte: Slashdot.org

---

Newsvine joins Assignment Zero

Newsvine is calling its contributors to join together in the first pro-am journalism project on the web, teaming up with other sites that embrace social media. Jay Rosen, the man behind the project, asks us and other citizen media outlets: "can large groups of widely scattered people, working together voluntarily on the Net, report on something happening in their world right now, and by dividing the work wisely tell the story more completely, while hitting high standards in truth, accuracy and free expression?"

Newsvine hopes to provide a resounding answer to that question from its many talented contributors, as they are already organized into several ideal groups, such as The Citizen Journalist and Citizen Journalism. These groups can team up with other interested users to organize a team which will put forth contributions on the behalf of Newsvine for Assignment Zero, which Rosen describes here:

* 1. We're going to take one big, moving story and with your active assistance break it down into reportable parts.

* 2. Then we're going to develop those parts--in the open, at the site--into pieces we can formally assign to contributors. Each piece is a part of a larger puzzle we'll be fitting together. We don't know yet how many pieces there will be.

* 3. We'll set deadlines for those pieces, and with your help find contributors who are motivated and qualified to complete them. Not for pay but for public benefit and some by-line glory in the final results. An "author" in our system can be an individual writer, a two or three-person team. A class could get an assignment. A blog plus users could do one. In an agreement with Newsvine staff, we are going to ship to them a "box" of assignments for their users to complete. It will then be up to the Newsvine community to figure out how to get those pieces done.

* 4. We'll edit what comes in and with the crowd's help verify it to the best of our ability.

* 5. Final results will probably come two months or so from now. We plan to publish in a big, splashy package at NewAssignment.Net everything that came in and made the editor's final cut. Wired will run a piece by Jeff Howe drawing off Assignment Zero. Wired will be free to pick and choose from that material and publish any portion of it, in print or online. What doesn't run at our site or at Wired.com can appear elsewhere on the Net. (We won't own your content. An Attribution-Share Alike 3.0 License will apply to it.)

Pro-am means just that: a mix of professional and amateur talent. Some formatting, some freestyling. Some things decided by editors, others left to participants. We don't know what the optimal mix is yet, but we'll find it.

As you can see, some of the details are still to be ironed out, but by participating in this project with your fellow Newsviners, you have a chance to make history - by contributing to the birth of a new breed of citizen journalism.

Fonte: Newsvine (adaptado)

Emprego » Designer gráfico

|
DESIGNER GRÁFICO / WEB DESIGNER

Empresa de comunicação sedeada no Porto, pretende designer à procura de 1º emprego, a tempo inteiro.

Pretende-se pessoa com bons conhecimentos em design gráfico e webdesign, e que domine os programas de Photoshop, FreeHand, InDesign, Flash, Dreamweaver, entre outros.

Privilegia-se a criatividade e dinamismo.

Selecção através de entrevista com curriculum vitae e portfólio.


Mais:
» Quando » 2007-03-07 12:21 até 2007-03-31 00:00
» Onde » Porto
» Nome do Contacto » Publicações Directas [Email]
» Telefone » 222061020

Revelation

|


Eu sei que não é suposto andar a "roubar" coisas aos outros. Por isso mesmo, o seu a seu dono. Esta música é mais uma da autoria de Maynard James Keenan, membro vocalista dos Tool e dos A Perfect Circle - sendo esta última uma das minhas bandas preferidas.

Esta música é de (mais) um projecto do Maynard, de nome Puscifer (o link no nome do Maynard também vos mostra em que consiste este projecto). Chama-se "Revelation 22:20" e faz parte da banda sonora do "Underworld".

Eu sou assim | Estágio e coisas...

|
Estou cansada. Estou tão cansada, que às vezes penso em como posso abrir a porta de casa com o Andante. Isso e dizer disparates, ter crises de ansiedade, dar cabo do sistema nervoso. Who cares? =x

»» Palavra-chave: Férias.

O estágio começou no mesmo dia em que tive o meu último exame, basicamente. Nada de férias. Nem uma tardezinha. Nem nada mesmo. E durante este tempo em que estarei (continuarei, para ser mais correcta) a estagiar, terei aulas um dia por semana. 4º ano, 2º semestre - Duas cadeiras práticas. É pensar em projectos finais, em notas, em aulas, em coisas do estário, investigação.

»» Noto que estou cansada, porque não tenho vontade de ler.