Resultados de pesquisa

Dias silênciosos...

|
...são os que eu tenho tido esta e a semana passada. Ora porquê? Pois eu cometi o erro gravíssimo de me esquecer do meu leitor de mp3 no carro de um amigo há 2 semanas pelo que infelizmente me encontro "musicless"...
Mas eu disse silênciosos? Sim, silênciosos mas não tanto para que não houvesse uma ou duas barbaridades que chegassem aos meus ouvidos ontem no metro ao voltar a casa do trabalho... Ora as barbaridades foram as seguintes: (julguem vocês mesmo)
  1. A Anne Frank era tão feia! Não admira que o Hitler a perseguisse...
  2. Se a 2ª guerra mundial fosse agora eu era a 2ª mão do Hitler!
É só cultura naquelas cabecinhas. Agora já sei outro motivo de eu detestar não ter música para ouvir. É para não perder a fé na raça humana...

Uma semana

|
Numa semana...

O meu pai faleceu. Tive o velório. Tive o funeral dele. Tenho a missa do sétimo dia hoje. Agradeço desde já a todos os que compareceram nesses momentos e aos que irão comparecer hoje. É um agradecimento muito sincero. Agradeço também aos contactos que recebi. Igualmente um abraço forte.


Nessa semana...

As instalações do meu trabalho mudaram. Antes, trabalhava no Freixieiro (como podem comprovar por este post) e agora trabalho perto do Campo 24 de Agosto. Muito melhor, pelo menos na parte em que saio de casa às 8h10 para chegar às 9h ao emprego.


E no fim-de-semana...

Estive em formação pelo programa AIESEC, em S. Pedro do Sul, neste caminho que é procurar por um estágio no estrangeiro. Talvez depois escreva sobre isso. Agora não me apetece.

Tecnologia

|
Estava a ler um artigo em relação a ela (a tecnologia) e lembrei-me de uma frase dita pelo bem conhecido escritor de ficção científica, Arthur C. Clarke:

Any sufficiently advanced technology is indistinguishable from magic.

Acho que o homem tinha razão porque às vezes vejo notícias das coisas que nós agora conseguimos fazer e tenho a certeza que se as mostrássemos ao pessoal do século XV, eramos atirados à fogueira!

Sabia que não ia demorar muito...

|
... a conseguir realizar o desejo da nossa Weezinha.

Pois é, re-encontrei o anúncio publicitário que me marca há cerca de 4 anos...!

Basta dizer: "Likes, LIKES!", para alguns de vós saberem do que estou a falar. É estranho como um anúncio pode fomentar amizades, arrancar sorrisos, ser acompanhado de uma sensação de carinho e ternura... semizita tu sabes se quem falamos.

Ora aqui está a pérola publicitária que merece tais honras:



Enjoy (the nostalgic feeling too!) =)

Há alturas...

|
...em que me apetecia andar 60 minutos por hora, 24 horas por dia, 365 dias por ano com uma máquina fotográfica na mão.
Eu já tinha visto coisas estranhas no metro, mas hoje, quando vinha para casa, vi algo que superou tudo! Até aquela gente irritante que teima em ter o telemóvel em alta voz numa música que eu detesto.
O nunca visto foi precisamente um teenager inconsciente com uma mochila em que na pega de cima tinha atado um balão... Esqueci-me da cor do balão mas tentem mais ou menos imaginar a figura do rapazinho sempre a andar com aquele ornamento. Sim sim, só o meu bom senso me impediu de apontar e desatar às gargalhadas!

Os mais perspicazes poderão ter notado na nova label que criei para isto. Eu ia usar a "Estúpido ou inteligente", mas não consegui encontrar a segunda parte na situação...

Nostalgia + pimbalhada = gargalhadas

|
Ora... voltei ao meu belo tempo dos videozinhos!

Eu sei, eu sei ( e não, não foi de propósito - ver video abaixo) já tinham saudades, Yupi! YUPI!

Encontrei esta pérola quando andava à procura do anúncio Laiques, LAIQUES do B!... por isso desta vez a culpa é da Weezinha... o que eu não faço por ti... cof cof...

Why we are here...

|
Where does it come from?
-- this quest? This need to solve life's mysteries, when the simplest of questions can never be answered.
Why are we here? What is the soul? Why do we dream? Perhaps we'd be better off not looking at all.
Not delving, not yearning. That's not human nature. Not the human heart. That is not why we are here.

Voz off do primeiro episódio de "Heroes". Acho que se encaixa muito bem com a série mas também funciona sozinho... Achei por bem partilhar. Enjoy!


The real TV star...

|
Ah pois é... sou EU!... LOL

A pedido da Sr. D. Dr. Multimédica e tal... aviso aqui os lurkers que se quiserem ver a minha pessoa a gozar os seus 15 minutinhos de fama nacional, devem ligar a Televisão no próximo dia 21 de Outubro, 3a feira, por volta das 21.30, na RTP1.

Reparem que só me estou a expor em público porque a situação me correu bem... senão estava caladinha que nem um rato... claro!

Este post servirá então de ponto de partida pa tudo de bom, mas sobertudo de mau, que sempre me quiseram dizer... e sim... vou parecer uma bolinha minuscula porque é verdade que a "TBê" engorda.

A quem já conhece a profundidade do tema e tinha feito apostas... dou pelos mamilos ao Malato... (sim, é uma zona sexy eu sei... embora nele... não me parece)

(E aquii está mais uma bela oportunidade de usar a bela da tag)

Zona "Maia Rural/Industrial"

|
Hoje vim de autocarro(s) para o emprego, o que significa que andei a passear logo desde cedinho. Ando numa de ressabiar contra os STCP porque quero carregar o meu passe e tenho que ir à loja X ou Y, porque é para renovar a assinatura de estudante e só fazem isso em meia-dúzia de sítios. Mas tudo bem.
Continuando, lá paguei um bilhete no primeiro autocarro para ir fazer um percurso turístico que bem se poderia chamar "Maia Rural/Industrial" e levar as pessoas numa voltinha pelos campos do concelho da Maia, passando, perto do final, pela Zona Industrial da Maia e terminando no Aeroporto. Uma voltinha de - apenas! - uma hora. Nada mau, pelo preço significativo!
Mas tudo bem, já estou familiarizada com a viagem e até reparo nas coisas que vão mudando. Hoje, por exemplo, como ainda é greve da função pública, o autocarro (a linha 604) ia vazio, o que é uma diferença abismal em relação ao que é comum nesta altura do ano. Também reparei que os campos de cereais estavam secos e, na grande maioria, já colhidos - sim, estamos em Outubro. Não parece, mas estamos.
Chegando ao Aeroporto, são uns 20 a 30 minutos de espera para apanhar a segunda linha, a 601. E andar 5 minutos no autocarro, a bem dizer. Podia ir a pé, não é? Se não tivesse que ir pela Nacional 107, até ia. :P
Tudo isto para pedir aos senhores das gasolineiras e das petrolíferas que comecem, por favor, a vender gasolina ao preço dos sumos de 33 cl, para eu poder ir de carro e demorar 20 minutos a chegar ao trabalho. :x

Há coisas fantásticas...

|
[isto]

... não há?