Resultados de pesquisa

|
Reflexão periódica sobre o estado das coisas.

Há já algum tempo que não venho para aqui reflectir sobre o chamado "estado das coisas", algo tão volátil que não vale a pena definir de outra forma. Posto isto...

Aviso que estamos oficialmente no ano (chinês) do búfalo ou do boi, o meu.
Além disso, o Jack Bauer já começou a salvar o mundo. Se ainda não repararam, tratem de o fazer. Não é, Zé? :D

E pronto, abençoados na agro-pecuária e no mundo político, estamos safos.


*Emana felicidade*

Out of context

|
Estava a ler uma notícia há bocado e esta frase dita pelo papa bentinho saltou-me ao ouvido ou melhor - ao olhinho:

"Is a 'Saviour' still needed by a humanity which has reached the Moon and Mars and is prepared to conquer the universe?"

Oh Ratzy!! Tens razão... Não é mesmo necessário! :o

Eu sei e vocês sabem que não era isso que ele queria dizer, mas tirar as coisas do contexto é divertido demais!!

Desta vez sou eu que peço desculpa, mas também não consegui resistir! :D :D

O pesadelo do designer é...

|
... não poder ver mais píxeis à frente.



:x
Desculpem, não resisti...

Fim da crise.

|

José Sócrates diz que não é tempo de baixar os braços e que há que combater a crise. Diz ainda que melhores tempos virão.

Como pode ele estar tão certo, pergunto-me eu, já que, nos últimos tempos isto tem vindo a descer? Passo a explicar esta súbita confiança certa de Sócrates.

No próximo dia 29 começa a nova temporada de 24. Não que eu seja grande fã da série; nada disso (em tom de aparte, acrescento que eu e o Zé já tivemos várias conversas sobre a teoria relacional de 24). Mas mesmo não sendo grande fã da série, deposito-lhe grande confiança. Isto porque vamos sair da crise; nós e o resto do mundo! No sábado que vem já vai estar tudo bem! E porquê? Porque o Jack Bauer vai salvar o mundo. Num dia.


24.


Não percam.


(Ufff, vem mesmo a tempo.)

Momento Metrino

|
Mais uma vez andar de metro teve os seus frutos.

- Isto não é um ficheiro mp3.
- Não!? Então é o quê?
- É... (pausa) É um ficheiro normal

Senhoras e senhores, o mundo está dividido entre ficheiros mp3 e ficheiros normais. Bolas, não sabia que era assim tão simples!! :P


Soundtrack sounds of music

|
Há bandas sonoras muito bem feitas, mas nenhuma, na minha opinião, como a de Battlestar Galactica (a de 2004 e não a original).
O clip seguinte é a abertura da 3ª temporada e sempre que a ouço me dão arrepios. É cantada em arménio por Raya Yarbrough (letra traduzida em baixo para quem não entender arménio :P ) e a moça tem uma voz lindíssima. Não que entender a letra seja essencial para a beleza da música, mas quem seguir a série vai achar com certeza que ela se encaixa perfeitamente no espírito da série.




A distant and familiar sadness calls to us
As if carried on the wind, like burning sand
Brothers and sisters, away, you endure
Stranded on our own land
A memory etched into soul and skin
Leaves a scar that never heals
Our family is strong, but scattered
Across the stars and fields
We will not abandon you
We will not forget you
We will return for you


A minha homenagem a esse grande senhor Bear McCreary que nos proporcionou tão boa música!

Olhos intactos...indiferença...

|
Hoje fui ao médico fazer uns exames aos olhos e tive boas notícias! Há uns meses atrás, o meu olho direito parecia estar a não focar as coisas como antes e chegou-se à conclusão que poderia estar a desenvolver uma situação assim daquelas com um nome (Ceratocone) que parece ter sido saído de um filme (como acontece à maioria), mas com os exames que fiz hoje essa hipótese parece estar posta de lado por isso... Yay for my eye!
Sendo as notícias boas pús-me a pensar no que se passou durante os exames que fiz e o quanto os médicos se conseguem desligar daquilo que estão a fazer. Agora, pelos vistos, eles andam aos pares como os polícias. De qualquer maneira, tive de fazer 2 testes. Um que media a espessura da córnea e outro chamado tomografia (não me perguntem o que é mas sei que gera uns gráficos dos teu olhos que parecem arco-íris muito bonitos). Durante ambos os testes os 2 companheiros de profissão tinham diálogos deste género (podem não ser transcrições exactas mas pronto é o melhor que me lembro):

1º exame:
Doc1: Esta é a nova? (mesa+laser+etc)
Doc2: Sim.
Doc1: Toda?
Doc2: Toda não, algumas peças foram aproveitadas e o assento é o anterior.

2º exame:
Doc1: As novas é que são espetaculares. Com esta há ajustes que fazes e ela às vezes falha.
Doc2: Estou a ver. Como a [inserir nome de outra máquina que eu já não me lembro].
Doc1: Sim. Estás a ver quando fazes isto... (ele fazia e eu via que a máquina se estava a mexer) Às vezes ela perde a posição e tens de fazer novamente. As novas é tudo automático...

Apetecia-me dizer: Hei! Esse é o meu olho pá! Cuidadinho!
Não acho bem este automatismo que os médicos têm às vezes que parece tudo banal e rotina. Os testes foram bem feitos não tenho dúvidas, mas a indiferença incomoda-me um bocado.

Disseram-me para voltar a fazer estes testes daqui a um ano.


Será que vão ter a máquina nova na altura?...

Kate Winslet

|
Não, não sou grande fã da Senhora.
Mas em honra da sua noite de glória ontem nos Golden Globes, resolvi returnar à minha veia de videozinhos "digger" e presentear-vos com esta pérola.
Há episódios melhores mas este era o melhorzito available.



Enjoy!

Life.

|
Vida. Life.
A série.

Uma das minhas frases ou até mesmo diálogos de ficção é a do décimo episódio da série Life. Estive a rever esse episódio e acho-o simplesmente brilhante. Procurei o guião das falas e deliciei-me novamente. Podem vê-lo completo ou ficarem apenas com as partes que me suscitaram tamanha curiosidade e apreço por este episódio e ainda maior gosto pela série e pela personagem principal, Charlie Crews (desempenhado por Damien Lewis).

O episódio chama-se Dig a Hole e é aconselhável até a quem não segue a série. :) Ficam então algumas partes. Espero que gostem e que vos faça pensar.
  "Dig a Hole"


REESE: [Reads.] "I'm with stupid." The arrow's pointing up.
Isn't it supposed to point at the person next to you?
CREWS: I guess he was admitting the truth.
REESE: That he was stupid?
CREWS: That no one knows anything.
REESE: I know he's dead.
CREWS: That's not the truth. It's just a fact.

-
TECH: Who remembers their number from ten years ago?
CREWS: I do, but it wasn't a phone number.
REESE: [Whispers to technician.] Prison number.

-

AMY: They are the police.
LUKE: So they must know everything is in motion, and the
particles within everything are never in one place.
Therefore, if it's never in one place, it never is, is
it?
CREWS: So I'm always in motion. I'm never in one place. I'm
never here.
LUKE: Just more likely to be here than not to be here.
CREWS: [To Dani] I'm not here. You like that, don't you?
REESE: If only that were true.

-

CREWS: See that car? Not here. That building? Not here. Not
actually here, just more likely to be here than not be
here. That dog: not here. That girl: not here. Too bad about
that. This street ... this city ... everything: not here.
REESE: If you're not here, then how come I can still see you?
CREWS: I guess not here. If you understand physics, which I
really don't.

-

MARK: You can't leave this horse here, Crews.
CREWS: It's not really there, Mark. I mean, it, it's physics.
It's complicated, but trust me. It's not actually here.
[Horse nickers.]

-

ERIC: You're not here. Are you?
CREWS: No, I'm here, Eric.

-

CREWS: Come meditate with me.
REESE: That's O.K. I think I'll just watch.
CREWS: It will make you happy.
REESE: It's not gonna make me happy.
CREWS: If it doesn't make you happy, I promise not to say
another word to you for the rest of the day. Where else
are you gonna get an offer like that?

-

CREWS: I've changed my mind. I want to come back as a panda.
REESE: Really? They're so cute.
CREWS: They're not cute. They just seem cute. They're actually
very mean.

New Skin

|
At first I see an open wound
Infected and disastrous
It breathes chaotic catastrophe
It cries to be renewed, please renew me!
It's tears are the color of anger
They dry to form a scab
To the touch, its stiff and resilient
Underneath, the new skin breathes

It's all been saved
With exception for the right parts
When will we be new skin?

As outwardly cliché as it may seem, yes
Something under the surface says, "c'est la vie"
It is a circle, there is a plan dead skin
Will atrophy itself to start again
Look closely at the open wound
See past what covers the surface
Underneath chaotic catastrophe
Creation takes stage

Dead skin will atrophy itself to start again
Dead skin will atrophy itself to start again
Dead skin will atrophy itself to start again

It's all been saved
With exception for the right parts
When will we be new skin?
It's all been seen
With exception for what could be
When will we be new skin?

(Until the 20th century, reality was everything humans could touch, smell, see, and hear. Since the initial publication of the charted electromagnetic spectrum, humans have learned that what they can touch, smell, see, and hear is less than one millionth of reality.)

Fallacious cognitions
Spewed from televisions
Do mold our decisions
So stop and take a look
And you'll see what I see now
Aaaaahhh!

It's all been saved
With exception for the right parts
When will we be new skin?
It's all been seen
With exception for what could be
When will we be new skin?
Skin
...

Incubus - S.C.I.E.N.C.E.

--

Ora o momento saudosista da Wee há alguns dias, despertou também em mim um desses... Aqui fica oficialmente registado. A banda é a mesma, o álbum o anterior e esta a primeira música que ouvi deles.

Cai neve...

|
... pela Europa fora.
Sempre que acontece de começar a nevar em algum lado "perto" (nota: a proximidade é relativa...) ou de ficar muito frio cá, começo com o habitual desejo de que neve cá. A ver bem, acho que até no Verão me questiono sobre isso...
Desuclpem-me se me estiver a repetir, mas... será que neva cá?

Eu sinceramente acho que não vai chegar a tanto, o que é uma tristeza, porque eu queria que cá nevasse. Só porque assim ia poder tocar em neve!

iLaptop

|


Não é preciso dizer mais nada pois não?!

Milagre!... Milagre!!!

|
Já que estamos numa de notícias... encontrei esta. Estivessemos em Jerusalém há uns 2000 e tal anos atrás e tinham chamado a proeza de milagre, talvez pelas mãos de um tal de homónimo meu.
Assim... talvez continue a culpar... sei lá... o Eng. Sócrates?... hmmm... acho que sim, é sempre uma boa escolha.


Police: Mexican woman in wheelchair flees on foot

Mon Jan 5, 9:03 pm ETMONTERREY, Mexico – Police say a woman who begged from a wheelchair was caught running from a crime scene on foot in Monterrey, Mexico. Police spokeswoman Sidlayin Robles says 30-year-old Ana Victoria Perez fled on foot after she and her husband allegedly threw a stone through the front window of a furniture store.

Perez was a regular fixture along a main Monterrey road, asking for change from motorists as she sat in a wheelchair pushed by her husband.

Robles said Monday that the couple apparently planned to rob the furniture store but were scared off by a security guard. They have been charged with vandalism.

Police arrested the couple when they returned for the wheelchair.

Autoridade da Concorrência suspende bilhetes de cinema oferecidos pela Zon

|
A Autoridade da Concorrência (AdC) decidiu hoje, na sequência de uma queixa apresentada pela Medeia Filmes, que a ZON TV Cabo vai ter de suspender por 90 dias o programa Cinemas ZON Lusomundo, ligado ao cartão myZONcard, que oferece aos assinantes daquele serviço de televisão um bilhete de cinema gratuito por semana. A ZON TV Cabo já reagiu à decisão da AdC, que considera “injustificada e lesiva dos interesses dos consumidores”, e anuncia que vai recorrer da decisão do regulador.

Em causa estão as vantagens do cartão myZONcard, lançado em Dezembro e que a partir de 1 de Janeiro oferecia, aos clientes da ZON TV Cabo que sejam assinantes do serviço há mais de um ano, 52 bilhetes de cinema grátis nas salas Lusomundo nos distritos de Lisboa, Porto, Aveiro, Braga, Vila Real, Coimbra, Setúbal e Viseu (mais de 200 salas).

A empresa sublinha que o cartão dará acesso aos seus portadores a “vantagens definidas a cada momento” pela ZON, pelo que promete agora “lançar novos benefícios para os detentores do myZONcard”, conforme se lê no comunicado enviado às redacções.

Conhecido o teor da decisão desta manhã, a ZON TV Cabo vai suspender a oferta dos bilhetes de cinema e a respectiva campanha de divulgação até que a questão fique solucionada.

Paulo Branco, produtor, distribuidor e responsável pelas 20 salas da Medeia Filmes, apresentou uma queixa à Autoridade da Concorrência para tentar “travar esta ameaça ao sector de exibição cinematográfica em Portugal”, conforme informou em comunicado. A queixa visava exactamente a suspensão da campanha.

A iniciativa da ZON vai pôr “cerca de potenciais 40 milhões de entradas gratuitas de cinema nas salas da Zon Lusomundo”, num país onde se vendem anualmente “15 milhões de bilhetes de cinema”, acusa Paulo Branco. Além disso, defende, levará ao fecho das salas de cinema que não pertencem à Zon Lusomundo.

No mesmo comunicado de reacção à decisão da AdC, a ZON frisa que o programa Cinemas ZON Lusomundo visava “dinamizar as actividades de distribuição, exibição e mesmo produção cinematográfica nacional”, originando uma “expansão do mercado” através da “renovação dos hábitos de frequência” dos cinemas e do “estímulo da concorrência”.

A Zon Lusomundo obtém mais de 60 por cento das receitas de distribuição dos filmes exibidos em Portugal.

Será que também foi o Sócrates?!...

|
Tuna Sandwich Stolen

Four beers taken too
Reporter: Gary Smollen

A Heartland woman reported to police a strange burglary at her home. The place was ransacked, but the only things taken were a tuna sandwich and four beers.

The 52-year old woman lives in the Levi Carter Neighborhood, near 16th and Ames Avenue.

She told Omaha Police when she returned home on Saturday, December 6th she noticed a window was broken, and when she went inside the home was trashed.

The thieves had searched high and low, apparently for something of value to steal, but settled for the sandwich and beer.
- - - -

Isto dando continuidade à corrente "Vamos culpar o Eng. Sócrates pelo Armaggedon também".
Aaah e repare-se que destacaram um repórter para o local... isto sim é jornalismo a sério. Eat your heart out 24 horas! =D

Sócrates...

|
O primeiro-ministro admitiu hoje pela primeira vez que Portugal poderá entrar em recessão e que quando o Governo apresentou o Orçamento do Estado para 2009, em Setembro, “ninguém tinha consciência da dimensão da crise”. (1)

Ainda assim, José Sócrates prometeu tomar medidas para que nenhum banco ou empresa entre em falência e centrar a sua prioridade no emprego. Sobre as divergências com Cavaco Silva, garantiu que são questões que se devem aprender a gerir. O primeiro-ministro assegurou, também, que a avaliação dos professores é mesmo para continuar. (2)

Em entrevista à SIC, apesar de reconhecer que a situação económica mundial e do país é mais grave do que esperava, o primeiro-ministro voltou a insistir que a consolidação orçamental que tem sido desenvolvida desde 2005 deixou Portugal mais bem preparado e proporcionou um crescimento económico significativo. Sócrates salientou também a criação de 130 mil postos de trabalho e o facto de sermos o único país da Zona Euro que manteve o objectivo orçamental para 2008 (2,2 por cento). (3)

(...)

Para justificar as várias linhas de crédito e as garantias dadas à banca, José Sócrates criticou a visão dos que acham que não se deve fazer nada. “Temos o dever de agir numa situação de emergência e extraordinária”, explicou. E acrescentou: “É uma crise global e gravíssima”, admitindo também que, aquando da apresentação, em Setembro, do Orçamento do Estado para o próximo ano, não havia consciência da dimensão do problema. Perante este cenário, o responsável admite rever as previsões de desemprego para o país – “todos os governos foram surpreendidos pelo impacto e pela dimensão da crise”.

Ainda assim, o Governo considera improvável verificar-se uma baixa de impostos, considerando que ao dar benefícios fiscais às empresas (baixa do IRC, pagamento especial por conta e crédito fiscal ao investimento) está também a ajudar todos os portugueses.

Investimento público em grandes obras

Questionado sobre os avultados e polémicos investimentos públicos numa altura de crise o primeiro-ministro não tem dúvidas: “A nossa economia precisa de investimento público” e em todos os projectos foi feito um estudo de custo-benefício. Segundo o líder do PS “já não é politicamente um erro [não investir], é moralmente errado”, acrescentando que “esses investimentos não vão ter nenhuma expressão em 2009”. Assim, Sócrates considera natural o pagamento posterior das concessões das grandes obras. “Estamos a financiar como sempre financiámos”, disse.

José Sócrates abordou ainda a nacionalização do BPN e as ajudas ao BPP, assegurando que “a alternativa era muito pior”. Para o primeiro-ministro trata-se de uma situação de emergência e de proteger os depositantes. E estabeleceu uma relação: “Foi a partir do momento que demos as garantias aos bancos que as taxas Euribor foram estabilizadas”. Questionado sobre se vai ajudar todos os bancos e empresas, prometeu salvar todos os que puder, pois “não se lidera assistindo a tudo do lado de fora”. A propósito dos fundos europeus para o sector agrícola que ficaram por utilizar, o chefe de Estado garantiu que a resposta será dada em Janeiro, já que a tutela não tinha dinheiro para financiar os seus 25 por cento no último orçamento. (4)

(...)

Relação com Manuel Alegre

Sobre os diferendos internos com Manuel Alegre, o secretário-geral socialista considerou-os normais num partido que não é de “elites e de vanguardas”. “Tenho respeito e consideração pelo Manuel Alegre pelo que representa no PS e na vida intelectual portuguesa”, afirmou, dizendo ainda que a “diversidade enriquece” um partido onde cabem várias “sensibilidades”.

Questionado sobre as eleições de 2009, Sócrates não quis antecipar cenários mas admitiu que “a maioria absoluta é necessária e é o que o país necessita”, considerando a “estabilidade governativa” essencial nas actuais circunstâncias. “A única certeza que tenho é que estou a altura dessa vitória”, sublinhou. Sobre a possibilidade de realizar as legislativas e as autárquicas em simultâneo, Sócrates mostrou-se contra a ideia, por ser "negativo para a democracia local", mas disponível para chegar a uma concertação com Cavaco Silva. (5)

A avaliação dos professores foi outro dos “temas quentes” da entrevista. Apesar de simplificada, considera que o actual modelo responde ao essencial e que promove uma “melhoria do estatuto social do professor”, que durante 30 anos não existiu. Apesar de não querer ser “o mau da fita” Sócrates disse que o Executivo também “não cometeu o erro de desistir o processo”, numa das principais áreas para o sucesso económico do país.

No Público Online de hoje
.


(1) Ninguém? E que tal os vários milhões de portugueses que não trabalham na Assembleia da República nem fazem parte do Governo?

(2) Uma nota: a avaliação já existia, Sr. Sócrates.

(3) Serão no governo?

(4) Excepto no caso dos professores...

(5) Permita-me discordar, caso Primeiro-Ministro, mas o país precisa de um Governo estável, de várias partes e não um governo cego e centralizador.

Not just laughs

|
Hoje estava a ver um episódio dos Simpsons e este momento final do episódio saltou-me ao ouvido:

Lisa: Just tell me you're sorry!!
Bart: Why should I?!...
Lisa: Bart... The only reason to apologise is if you look deep down inside yourself, and you find a spot, something you wish wasn't there... (...)

Escusado será dizer que o Bart de facto olhou, encontrou algo que não queria lá e acabou por pedir desculpa. Isto para mostrar que os Simpsons não só dão muitas gargalhadas, mas às vezes também algo mais.

I'm back...

|
... kinda!

Reparei hoje que há meses que não publicava nada... por isso estou de volta com um videozinho. Hoje esta música simplesmente não me sai da cabeça... por isso cá fica (o video não é dos melhores, mas a música é que conta).



Enjoy!

Bom Ano Novo

|
O Weedeias, em nome da minha pessoa e de todos os autores e participantes, deixa aqui os melhores votos para o ano que agora se iniciou. Não muito de ligar a estas passagens, mas acredito que as boas palavras e sentimentos nunca serão em demasia.
Poderia agora partir para um inventário do que foram os 366 dias de 2008, mas tal não o farei, pelo menos não neste momento. Não que não tenha caído na eventualidade de fazer tal apreciação mentalmente, posto até que várias pessoas que me rodeiam o fizeram também. Segue-se, aqui, a lógica do cordeirinho: não estamos a copiar ninguém, mas já que alguma mente tomou a iniciativa, por que não segui-la?
Os meus desejos são quase sempre os mesmos a cada festejo que passa; até mesmo a cada dia que passa: que o seguinte seja construído de tudo o que preciso, de paz para o que e quem me rodeia e de alguns desejos extra a serem cumpridos.

Nota: A fotografia que vos deixo não foi tirada na passagem do ano.