Resultados de pesquisa

Sunday

|

444851997

Sunny Sunday afternoon

O Conquistador

|
O restaurante O Conquistador (link para o lifecooler) fica situado na histórica cidade de Óbidos, por onde passámos em visita para um almoço tardio.
Depois de procurarmos um restaurante com preços acessíveis, e já com o estômago a pedir sustento, encontrámos este restaurante numa das ruas estreitas, em paralelos, da cidade. Primeiro ponto positivo: ementa com preços na parte de fora. (À falta dos bolinhos de bacalhau no menu que nos chamaram a atenção, optámos por outro prato, mas isto é apenas um pormenor.)

Estávamos com fome (o bom pequeno-almoço por volta das 10h da manhã já tinha sido digerido) e começámos com pão quentinho, manteiga e queijo-creme. O almoço: alheira de caça com arroz e batatas fritas num prato bem servido. A alheira estava bem confeccionada (tostada, mas não desfeita, como deve ser_), e era de qualidade (bastante carne e algum pão) - soube-nos pela vida!
Apesar de já cheios, ainda pedimos sobremesa: mousse de chocolate. Caseira, com ginginha - no meu caso, dispensava, porque não sou apreciadora do licor, mas admito que liga bem.
Para terminar, os habituais cafés.

O almoço completo rondou os 25€ - para a zona em que fica, não foi caro e viemos bastante satifeitos!

Great American Disaster

|

Tacho Real

|
O Tacho Real (link para o Lifecooler), em Sintra, é um restaurante com postura e acolhedor que descobrimos numa das ruelas da cidade.
Surpreendentemente - pelo menos para nós - foi saírmos para jantar numa sexta-feira e não haver quase nenhum estabelecimento aberto. Demos umas voltas a pé, encontrámos três restaurantes e daí escolhemos o Tacho Real. O preço da restauração em Sintra pode não ser a mais apelativa, por isso olhámos bem para as ementas (relação qualidade/preço da oferta como factor importante a considerar) e para o que os nossos estômagos nos pediam - e assim entrámos.

O restaurante tem uma esplanada que não parece tão acolhedora - o interior do restaurante é mais interessante, assemelhando-se a uma sala cravada dentro de uma pedreira em alguns dos seus recantos, com decoração em madeiras e ferros.

Não pedimos muitas entradas - azeitonas (em alho e um fio de azeite) e pão - porque também não nos pareceu que fôssemos esperar muito pelo prato (pedimos uma das escolhas do dia): salmão grelhado com batatas, cenouras e couves de Bruxelas cozidas. Temos a concordar que as batatas e as cenouras podiam estar mais cozidas (mais uns minutinhos e ficariam no ponto), mas o salmão estava óptimo! Não podendo comer salmão com regularidade (é um peixe bastante gorduroso), esta foi uma oportunidade muito bem aproveitada.

Ainda apostamos nas sobremesas, que tínhamos à disposição num carrinho: tarte de amêndoa e caramelo e toucinho do céu. Também bem confeccionadas, foram a cereja no topo do bolo. O café e descafeínado de cápsula puseram fim à refeição, deixando-nos satisfeitos.

Por tudo, cerca de 30 euros (um pouco menos), que viria a ser o preço a pagar nos outros sítios por onde passámos, sendo que a oferta não era, de longe, tão convidativa.
Nota: a refeição foi acompanhada a água.

Óbidos

|

Oh, the pretty lights!

|

Remains!

|

422533895

Testing posterous app!

|
Testing!