Resultados de pesquisa

Proibida distribuição gratuita de maçãs numa campanha contra a obesidade

|
Acção equiparada a campanhas de marketing e publicidade
A distribuição gratuita de maçãs em várias praias do Algarve foi esta semana proibida pelo comandante da Zona Marítima do Sul, depois de o mesmo ter acontecido a uma campanha de oferta de pêras e após terem sido levantadas diversas dificuldades à exploração comercial de massagens nos areais da região.
A distribuição de maçãs tinha sido preparada por uma associação de produtores com sede em Alcobaça e tinha o apoio da Fundação Portuguesa de Cardiologia, no quadro de uma acção de sensibilização sobre a obesidade e do excesso de colesterol. A iniciativa, que foi lançada nas praias da região centro no ano passado e estava inserida num projecto da Comissão Europeia, incluía a entrega dos frutos e de um folheto sobre os benefícios do seu consumo.O presidente da Associação de Produtores de Maçãs de Alcobaça, Jorge Soares, citado pela TSF, adiantou que, ao contrário do Algarve, houve algumas zonas em que as capitanias autorizaram a distribuição da fruta, mas proibiram a entrega da brochura. O Estado-Maior da Armada explicou, entretanto, que a decisão tomada no Algarve tem por base o Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC), que "interdita estas actividades, a sua realização nas áreas concessionadas". O comunicado refere que deram entrada nas capitanias "dezenas de solicitações de empresas de marketing e publicidade que pretendem utilizar as praias de banhos, durante a época balnear, para promover os seus produtos" das mais diversas formas. A autoridade marítima salienta que estas actividades originam "incómodos aos utentes" das praias e "conflitos com os outros usos próprios das praias (...)", pelo que, tendo em conta a proibição do POOC, os pedidos "têm sido indeferidos".
Fonte: Público online

2 weedeias:

Yoseph disse...

Bem... Err... É uma espécie de publicidade. Publicitar os efeitos benéficos das maças. :P

weevil disse...

Era uma coisa boa!