Resultados de pesquisa

Listserve

|
I am registered on Listserve.com, so every single day I receive an email from a "John / Jane Doe".
Today, I got the message you can read below and I felt it was interesting to share it here.

I have to be honest. I think this is a great concept and I'm glad that it got such a great reception. I am really happy to have been chosen but to be honest I'm not particularly well spoken. I'm an artist and just started a job in June making a video game called Mage Faire Online.
This is where things get interesting... I absolutely love it but if it has taught me anything, besides the ridiculous amounts of real world experience I've gotten so far, it is that everything, even your dream job can have ups and downs. It's amazing to think that something that you always want your entire life can have ANYTHING negative to it, but that's life. So, then what did this lead me to realize? Well, it made me realize that happiness is a lot simpler than people think.
Happiness is just that, being happy. The ONLY way to be happy, is to be happy. What I mean is that you should just feel happy about life, things you have, and not worry about the things you don't.
OK, the other secret to happiness is to never listen to someone who says, “Oh, you're going to do “insert cool thing here”? I wish I could do that!” That has ALWAYS driven me crazy. If you want to do something, do it. If you want to live in France for the rest of your life, find a way. There is always an excuse that will stop you from doing this but ignore that. It always seems impossible but it's not. You only have to figure out how. I taught English for 2 years in another country and it was not hard to do. There are people out in the world willing to help you with anything. You just have to use Google ;)
On a personal note, if anyone is Hungarian or speaks Hungarian I have one thing to say, “Mindig a szivem Magyarorszagon lesz!”

John (from Albuquerque)

Now selling on Etsy!

|

The Lumi Project

|
This is an innovative project of printing with sunlight!

Valentino

|
Em Março, aproveitámos um voucher da Groupon para jantar no Valentino. Já lá tinha passado várias vezes, mas nunca tinha entrado. Apesar da curiosidade, sempre me tinham avisado da despesa que dá fazer um jantar fora em alguns italianos. Para quem não sabe a que restaurante me refiro, trata-se da esplanada coberta do Centro Comercial Parque Itália, na Júlio Dinis (Porto).

Assim sendo, aproveitámos um jantar para dois que nos ficou por cerca de 40 €, em vez de mais de 90 €.
Começámos com dois Martini - sou fã confessa de Martini - e entradas: tomate com mozzarella e ervas e bruschetta de tomate.

Enquanto esperávamos pelos pratos principais, conseguíamos apreciar noite chuvosa na rua. Os pratos escolhidos foram um tagliatelle de gambas e um combinado de lasagna e cannelloni. Estavam muito bem confeccionados e todo o ambiente do restaurante ajudava a degustá-los lentamente, ainda com a chuva lá fora. Sem dúvida, um jantar romântico.

Ainda incluído tínhamos café ou chá - optámos pelos cafés - e gelado para a sobremesa. Os gelados - caseiros, contaram-nos - são bastante bons, pelo que vale a pena passar lá nem que seja só para este pequeno "pecado".

Como usámos o voucher, o jantar compensou sem dúvida o preço pago; felizmente, conseguimos ir aproveitando estas oportunidades para conhecer novos sítios e deixar alguns comentários!

O Camafeu

|
camafeu (s. m.)
1. Pedra fina com duas camadas, diferentes na cor, uma das quais leva gravado um desenho em relevo.
2. [Informal] Cara muito feia.
3. [Antigo] Selo dos reis de Portugal.
4. Efígie dos reis nas moedas.

Neste caso, não se trata de um pendente, nem muito menos de alguém menos belo, mas antes de um restaurante muito agradável na Baixa Portuense.
O Camafeu, sito na Praça Carlos Alberto, está escondido num 1º andar de um prédio histórico. Para os mais desnorteados, fica ao lado do café Luso.

Temos que tocar à campaínha na rua para entrar. Somos acompanhados até um espaço acolhedor, recatado e intimista, cuja decoração romântica não cai nos exageros rocócós de outros tempos. Aqui, podemos almoçar ou jantar entre terça e sábado (ao sábado, apenas servem jantares), sempre com a certeza de um bom serviço, quer no pessoal, quer na refeição.

Jantámos no Camafeu em Março passado e apaixonamo-nos pelo local. Apetecia prolongar ainda mais o jantar, para que durasse a noite toda, de tão confortável que nos sentimos. Passemos à refeição, bem confeccionada - surpreendeu-nos todo o carinho, tão fácil de perceber!

Para entradas, cogumelos gratinados e queijo fundido com framboesas: uma delícia! Os cogumelos (frescos) estavam no ponto certo e a combinação de queijo com framboesas é simplesmente inteligente.

Cogumelos

Queijo com framboesas


Começámos a refeição com calma e deliciamo-nos com as entradas.
Pratos principais: porco preto com puré e legumes e peito de frango recheado com alheira e coberto com molho de maçã - ambos deliciosos. Volto a mencionar que as primeiras 5 estrelas vão para o carinho no atendimento e na confecção. Sem isso, seria apenas mais um restaurante com boa comida!
Terminámos com um gelado de chá verde, fresco e a calhar, para deixar o estômago bem reconfortado.

Por toda a refeição (aqui faltam os cafés e as bebidas, claro...), pagámos cerca de 50 euros, se bem me recordo. Um preço aceitável para um jantar memorável.


Fica também a sugestão para o almoço, com preços económicos e igualmente deliciosos (de terça a sábado), aproveitando-se também a vista para a Praça Carlos Alberto num dia solarengo de Primavera.

Untitled

|

-2042882615

Something fishy

|

Fish@ Parque Nascente

[Livro] Essência e Memória

|
No ano passado, tive o prazer de participar no livro "Essência e Memória - Antologia de fotografia contemporânea" (volume III), projecto no qual tenho três fotografias e uma pequena apresentação.
Como tive algumas dificuldades em vender as unidades que tive que patrocinar, ainda tenho várias cópias do livro à venda, apenas pessoalmente, por 20 € (acresce de envios, caso necessário).

Caso estejam interessados, por favor contactem.

Obrigada!

Sunday

|

444851997

Sunny Sunday afternoon

O Conquistador

|
O restaurante O Conquistador (link para o lifecooler) fica situado na histórica cidade de Óbidos, por onde passámos em visita para um almoço tardio.
Depois de procurarmos um restaurante com preços acessíveis, e já com o estômago a pedir sustento, encontrámos este restaurante numa das ruas estreitas, em paralelos, da cidade. Primeiro ponto positivo: ementa com preços na parte de fora. (À falta dos bolinhos de bacalhau no menu que nos chamaram a atenção, optámos por outro prato, mas isto é apenas um pormenor.)

Estávamos com fome (o bom pequeno-almoço por volta das 10h da manhã já tinha sido digerido) e começámos com pão quentinho, manteiga e queijo-creme. O almoço: alheira de caça com arroz e batatas fritas num prato bem servido. A alheira estava bem confeccionada (tostada, mas não desfeita, como deve ser_), e era de qualidade (bastante carne e algum pão) - soube-nos pela vida!
Apesar de já cheios, ainda pedimos sobremesa: mousse de chocolate. Caseira, com ginginha - no meu caso, dispensava, porque não sou apreciadora do licor, mas admito que liga bem.
Para terminar, os habituais cafés.

O almoço completo rondou os 25€ - para a zona em que fica, não foi caro e viemos bastante satifeitos!

Great American Disaster

|

Tacho Real

|
O Tacho Real (link para o Lifecooler), em Sintra, é um restaurante com postura e acolhedor que descobrimos numa das ruelas da cidade.
Surpreendentemente - pelo menos para nós - foi saírmos para jantar numa sexta-feira e não haver quase nenhum estabelecimento aberto. Demos umas voltas a pé, encontrámos três restaurantes e daí escolhemos o Tacho Real. O preço da restauração em Sintra pode não ser a mais apelativa, por isso olhámos bem para as ementas (relação qualidade/preço da oferta como factor importante a considerar) e para o que os nossos estômagos nos pediam - e assim entrámos.

O restaurante tem uma esplanada que não parece tão acolhedora - o interior do restaurante é mais interessante, assemelhando-se a uma sala cravada dentro de uma pedreira em alguns dos seus recantos, com decoração em madeiras e ferros.

Não pedimos muitas entradas - azeitonas (em alho e um fio de azeite) e pão - porque também não nos pareceu que fôssemos esperar muito pelo prato (pedimos uma das escolhas do dia): salmão grelhado com batatas, cenouras e couves de Bruxelas cozidas. Temos a concordar que as batatas e as cenouras podiam estar mais cozidas (mais uns minutinhos e ficariam no ponto), mas o salmão estava óptimo! Não podendo comer salmão com regularidade (é um peixe bastante gorduroso), esta foi uma oportunidade muito bem aproveitada.

Ainda apostamos nas sobremesas, que tínhamos à disposição num carrinho: tarte de amêndoa e caramelo e toucinho do céu. Também bem confeccionadas, foram a cereja no topo do bolo. O café e descafeínado de cápsula puseram fim à refeição, deixando-nos satisfeitos.

Por tudo, cerca de 30 euros (um pouco menos), que viria a ser o preço a pagar nos outros sítios por onde passámos, sendo que a oferta não era, de longe, tão convidativa.
Nota: a refeição foi acompanhada a água.

Óbidos

|

Oh, the pretty lights!

|

Remains!

|

422533895

Testing posterous app!

|
Testing!