Resultados de pesquisa

Tabernix

|

Nova sugestão que poderia perfeitamente responder à pergunta "onde desfrutar de uma refeição agradável, junto à zona ribeirinha do Porto, num fim-de-semana?"

Há dias (bastantes dias...), lembramo-nos de ir jantar a um daqueles restaurantes caros, quase com cozinha de autor, em que se pede um filet-mignon e o que vem realmente faz juz ao nome... Tendo o restaurante da nossa eleição mudado de direcção sem aviso prévio, não o vamos sequer identificar nem referir, mas ficava na rua do cais em Massarelos e mudou-se para Gaia, para um Club de Golf indeterminado.


Sendo os nossos planos foram tão abrupta e inesperadamente anulados, tivemos de, dans le jenou desenrascar uma solução para um jantar que já começava a apresentar tardio. Como bons portugueses, e aparentados com o MacGyver que se desenrascava sempre, lembramo-nos que ali perto havia um outro restaurante mais ou menos conhecido. Era procurar uma terceira opção ou ficarmo-nos pelo "Tabernix", o plano b (aqui não o bar...), a solução de desenrasque. Decidimo-nos pelo Tabernix. Ficava ali ao pé, tinha boas críticas de conhecidos... Porque não?


À entrada surgiu-nos à mente pela primeira vez a pergunta “Tabernix por quê”? As letras do nome do restaurante estavam numa fonte bastante semelhante à usada por Goscinny e Uderzo. Segundo a lógica, seria uma referência velada a um ambiente "gaulês", um sítio que nos lembrasse a atmosfera das bandas desenhadas de Astérix, Obélix e toda a aldeia dos incorruptíveis gauleses... Aparentemente, a lógica estava de folga nesse dia, por isso, de vagamente gaulês a única coisa que o estabelecimento tinha era mesmo o nome. Sentamo-nos a uma mesa vaga e esperamos que nos dessem o menu, que por acaso estava repetido a giz nas paredes do estabelecimento. "Original" pensamos, “assim poupa-se papel. Não é coisa que se veja todos os dias”. Escolha de uma mesa alumiada por velas num restaurante à meia luz… Com sorte talvez o “plano b” não tivesse sido muito mau.


A espera não foi longa, mas pareceu uma eternidade graças à maravilhosa banda sonora com que fomos brindados. Alguém deve ter criado um cd entitulado “best of pimba” e decidiu passar até à insanidade a chamada música popular portuguesa misturada com alguma brasileira. Ideia de um “plano b” razoável? Posta de lado. Encontramos com isto finalmente um ponto comum com a aldeia gaulesa de Astérix: a música do bardo rivaliza em qualidade com a que passa naquele restaurante. Umas entradas compostas pelos apanagiais e comuns pães e manteiga a acompanhar e a pergunta sobre o que iríamos querer para jantar.


Dúvidas tiradas acerca das sugestões apresentadas nas paredes, pedimos uma francesinha especial e um bife com cogumelos, “com cogumelos” porque apesar de vir com molho E cogumelos, nem o prato nem o local tinham a classe que exige a expressão francesa “aux champignon”. Enquanto depenicávamos o pão com manteiga na espera, íamos reparando na faixa etária predominantemente adolescente que pululava o sítio. Aparentemente e segundo nos foi dado a entender, a sangria do Tabernix é deveras popular e chama muita gente jovem. Talvez por isso tenhamos pedido uma cerveja preta para acompanhar a francesinha (que de especial tinha apenas um banal ovo sob o molho) e um ice tea de manga para o dito bife com cogumelos.

Já referimos o quanto nos desagrada batata frita da congelada num restaurante, não já? Mais um ponto negativo. Salvo isso, nada de extraordinário na cozinha. Pratos do mais banal que se confeccionam com o requinte que temos em casa. Se calhar o ambiente familiar é um trunfo para um determinado público-alvo no qual não nos encaixamos de todo. Sobremesa? Com certeza. Se a luta entre a gula e o gosto musical fosse ganha pela primeira. Como tal não aconteceu, acabamos a refeição, pedimos a conta e saímos o mais subtil e rapidamente possível.


Em jeito de conclusão, a única coisa vagamente positiva do Tabernix enquanto estabelecimento de restauração é realmente a simpatia dos empregados. Tal não chega, porém, para cobrir tudo o que nos desagradou naquilo que, mais que um restaurante, aparentava de facto parecer uma taberna. Quanto à pergunta acerca de onde desfrutar de uma refeição agradável, junto à zona ribeirinha do Porto, num fim-de-semana? Bom, a resposta talvez se encontre num posterior post, porque desta vez apenas pudemos constatar que o Tabernix não corresponde de todo à nossa expectativas e gosto. Enche-nos a barriga, com sorte, mas não as medidas.

5 weedeias:

Dahnak disse...

Gostei mesmo mesmo mesmo mesmo mesmo mesmo muito deste post.
'nuff said.

aldasilva disse...

Pois... Realmente não deixou saudades.

Tabernix disse...

Olá! Falo em nome do Tabernix e começo por agradecer o comentário ao nosso espaço. É no feedback activo dos nossos clientes que encontramos oportunidades de melhoria diárias.
Gostava também de apresentar o conceito Tabernix, inspirado nas histórias de Goscinny e Uderzo, no seu próprio nome, na poção mágica e no ambiente de festa que sempre caracterizou a aldeia gaulesa. Aliado a isso está presente a portugalidade, visível no conforto, na forma familiar como recebe os seus clientes (amigos) e na variedade de petiscos nacionais presentes na ementa Tabernix.
Ora, sendo o ambiente familiar, de festa e muita diversão até altas horas da madrugada, não somos um espaço que apresente cozinha de autor (embora a nossa querida Dona Ana seja famosa pelos petiscos deliciosos que faz).
O nosso target é exactamente o público jovem, estudantes e artistas que apreciem uma boa petiscada regada com sangria e muita animação.
Queremos agradecer também, o comentário positivo deixado aos nossos queridos amigos de trabalho. Reforçamos aqui os parabéns que lhes damos todos os dias pelo bom desempenho.
Pelo comentário descrito, vejo que fizemos bem o nosso trabalho de comunicação do conceito. Recriamos a taberna portuguesa num conceito pimba chic (que é a música oficial da casa) e por isso, os nossos queridos clientes são aqueles que se identificam com esta personalidade de marca. Não serão com certeza os apreciadores de restaurantes caros :)
Bem, fica o agradecimento pela visita e pelo comentário.
Votos de boas jornadas gastronómicas!
Ana (Tabernix)

aldasilva disse...

Cara Ana,

Obrigada pelo comentário e pelos devidos esclarecimentos. Toda a atenção é merecida e agradecida nestas jornadas. :)

Desde já manifesto o meu agrado em que a nossa voz - neste caso em particular, minha e do Edgar, que me acompanhou - tenha sido ouvida por quem de direito, que é precisamente quem melhor nos pode ajudar nesta tarefa.

Fica também o nosso interesse em regressar um destes dias para um jantar, sendo que gostaríamos de poder apreciar outros pratos vossos. Aceitamos sugestões, esperando que também haja interesse da vossa parte em dar a conhecer melhor o vosso trabalho!

Muito obrigada e até uma próxima vez, esperemos que em breve!

Tabernix disse...

Olá, obrigada pelo post :)
Esperamos então por uma próxima visita, onde sugerimos petiscos. Destacamos as moelas, a hamburguesinha com molho extra picante, os pimentos padrón e a tábua de enchidos e queijos. Tudo bem apurado, para apreciadores de sabores fortes :).
A acompanhar, reforçamos a recomendação da sangria.
Até lá, Boas Festas e um excelente 2010!
Ana (Tabernix)